As ações de combate à violência contra a mulher deve continuar durante todo o mês de agosto no município.

O primeiro ato do “Agosto Lilás”, mês de combate a violência contra a mulher e comemoração os 13 anos de existência da Lei Maria da Penha, reuniu centenas de pessoas na noite desta quarta-feira (07) na câmara de vereadores em Sonora. O evento contou com a presença da especialista em Políticas de Enfrentamento a Violência Contra a Mulher, educadora Aparecida Gonçalves, uma das maiores defensoras neste enfrentamento no Brasil.

A palestra iniciou falando da história da Maria da Penha, a inspiradora da criação da Lei, que hoje é inspiração e modelo em diversos países. Maria, farmacêutica, sofreu maus tratos e torturas durante anos nas mãos do marido que na época era professor universitário, ficou tetraplégica por um tiro em assalto, e ao final das investigações o delegado informou que o autor do assalto foi seu próprio marido. Contudo, Maria só teve coragem de buscar ajuda depois de perder um filho com seis meses de nascido. Ato que culminou à Lei Paria da Penha de proteção as mulheres.

Aparecida Gonçalves, disse ainda que Sonora deve entrar neste enfrentamento e combater a violência dentro de casa, dentro da família de quem deveria cuidar e defender, “Existe hoje uma luz, a que iniciou com a criação com a Lei Maria da Penha, mas só a existência dela por si só não consegue atingir como gostaríamos que atingisse, por isso é preciso todos denunciarem quando presenciar uma violência, sendo ela física, moral ou psicológica. Temos que combater a intolerância, o ódio e tudo que traz para dentro de nós sentimentos ruins. Denuncie, disque 180, não tenha medo, se tiver sofrendo, peça ajuda, se ver alguém sofrendo, peça ajuda, não feche os olhos e não vire as costas para o próximo e diante de covardes, que espancam, estrangulam e tentam contra a vida de milhares de mulheres no Brasil”, destacou Aparecida.

Participaram da palestra a primeira dama Adenir Franco, o presidente da casa de Leis, vereador Raphael de Lemos (MDB) e a assistente social do Creas Rosimeire Quadros.

Mais fotos